Diretora da Receita Fiscal da Espanha pede prisão de Cristiano Ronaldo


Cristiano Ronaldo está em situação crítica com Receita Fiscal da Espanha 
Jogador acusado de sonegar 14, 7 milhões de euros em impostos

A diretora da Receita Fiscal da Espanha, Caridad Gómez Mourelo, pediu  nesta terça –feira a prisão do craque Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, por deixar de pagar 14, 7 milhões de euros em impostos. Segundo a diretora, responsável da Unidade Central de Coordenação do Tesouro, há contribuintes que estão detidos por com infrações fiscais menos graves do que as do jogador português.

"Temos na prisão pessoas que não pagaram 125.000 euros", afirmou Caridad Gómez em tribunal. Nas declarações, divulgadas esta terça-feira, a diretora considerou "importantíssima" para o fisco espanhol a verba de quase 15 milhões de euros que é imputada a Cristiano Ronaldo.

Cristiano ainda não se manifestou quando a decisão da Justiça
O craque do Real Madrid, que já está sendo julgado, é acusado de ter, de forma "consciente", criado empresas na Irlanda e nas Ilhas Virgens britânicas, para defraudar o fisco espanhol em 14.768.897 euros, cometendo quatro delitos contra os cofres do Estado espanhol, entre 2011 e 2014. 

Na base da acusação estão os direitos de imagem do jogador português, ao serviço do Real Madrid desde 2009, e que, desde 01 de janeiro de 2010, é considerado residente fiscal na Espanha.

Em Julho o português enfrentou a Justiça no tribunal
Em julho deste ano Cristiano Ronaldo prestou depoimento à Justiça espanhola, em sessão tensa, em que o jogador várias vezes demonstrou irritação com a insistência de perguntas sobre sua rotina financeira.

Cristiano Ronaldo devia estar preso por causa da alegada fraude fiscal de 14,7 milhões de euros. Este é o entendimento de Caridad Gómez Mourelo, especialista em crime fiscal, em declarações ao Tribunal de Primeira Instância de Pozuelo de Alarcón.

Até o encerramento desta matéria, os advogados de Cristiano Ronaldo ainda não haviam se manifestado e o jogador evita tocar no assunto.

Walther Alvarenga

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.