Exclusão de astronauta afro-americana de missão da Nasa gera polêmica

Jeanette Epps foi excluída da missão e substituída por outra mulher
Jeanette Epps substituída a 143 dias da missão espacial e divide opiniões

A exclusão inexplicável da astronauta afro-americano, Jeanette Epps, de 47 anos, de uma missão espacial da Nasa, em junho, divide opiniões nos EUA e vem causando indignação entre a população americana – e mesmo na Europa – que acompanha o caso. Ela seria a primeira mulher negra a participar de missão no espaço. A Nasa não se justificou. 

Jeanette foi excluída da expedição 56/57 a 143 dias da missão na Estação Espacial Internacional, e será substituída por outra mulher astronauta, Serena Auñón –Cancelheiro. 
A astronauta Serena Cancelheiro designada para missão
  
Os motivos da decisão não foram divulgados, mas há uma série de questionamento, inclusive, racismo. Segundo a Nasa, todas as equipes possuem uma equipe que pode substituí-las mesmo no último momento.

O caso mais famoso ocorreu em 1970, quando Jack Swigert foi substituido por Ken Mattingly três dias antes da partida da Apollo 13 porque a Nasa  temia que este pudesse ficar doente com sarampo – mas este não é o caso de Jeanette.

Jeanette Epps, deveria ficar a bordo da ISS por 143 dias, tornando-se a pessoa afro-americana com a maior permanência no espaço.    
Jeanette tem experiência e capacidade para a missão espacial
Jeanette Epps, nascida em Syracuse, no Estado de Nova Iorque, concluiu em 2000 um doutoramento em engenharia aeroespacial e trabalhou durante dois anos num laboratório antes de ser recrutada pela CIA para trabalhar como agente técnica. Foi na agência de inteligência que passou sete anos, até ser recrutada em 2009 para a turma de astronautas da NASA desse ano.


Walter Alvarenga

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.