Massacre é previsto na desocupação da Feira da Madrugada, em São Paulo.

O Paraíso das Compras recebe cerca de 30 mil pessoas por dia

Ação indevida pode deixar oito mil trabalhadores sem emprego

Por que o desrespeito com quatro mil lojistas que atuam na Feira da Madrugada, no Brás, prejudicando o emprego de oito mil trabalhadores?  A Feira da Madrugada que funciona desde 2005, no Parque do Pari, agora corre o risco de ser fechada. A ordem de despejo está programada para o próximo domingo, 25 de Fevereiro. 

Isso representa o desemprego do comerciante que trabalha duro nas madrugadas, para o sustento de suas respectivas famílias. O Prefeito de São Paulo, João Dória, que se comprometeu a defender o trabalhador, não pode ser conivente com tamanha barbárie. Basta de manobras!

Cerca de oito trabalhadores podem perder o emprego
Em momento de estagnação econômica no país, quando enfrentamos profunda crise política e um cenário moral duvidoso por parte de nossos governantes, despejar pessoas que trabalham com afinco, que contribuem, é no mínimo ultrajante. Tirar o pão de cada dia dos que não medem esforços, é um passo retrógrado ao direito do trabalhador brasileiro. 

Pessoas de várias partes do Brasil na Feira da Madrugada
Seria a exterminação do bom senso, ou seja, pior que o Massacre do Carandiru, aniquilando oportunidades pela imposição de impostores.

O Paraíso das compras  - Feira de Madrugada –, que tem recebido pessoas de várias partes do Brasil, atraídas pela qualidade dos produtos e de preços acessíveis, corre o risco de ser despejada do seu endereço, no Parque do Pari, no próximo domingo, dia 25 de fevereiro. A Associação do Parque do Pari enfrenta momentos de desespero, diante de processos na Justiça sobre a concessão do uso do espaço.

Preços baratos e produtos de qualidade da Feira
Segundo levantamento da Associação são quatro mil lojistas que trabalham na Feira da Madrugada, girando em torno de oito mil pessoas trabalhando diretamente. São mais de 60 mil empregos indiretos que a Feira proporciona, entre costureiros, modistas, revendedores, entre outros. 

Cerca de 30 mil visitantes circulam por dia na Feira: 150 ônibus e 140 vans transportando pessoas de várias partes do Brasil.

Um complexo de produtos e visitantes 
 Intimidação da Polícia – É um momento preocupante, pois homens da Polícia Militar têm intimidado assiduamente os lojistas e demais trabalhadores da Feira, causando revolta. Há, inclusive, vídeos que comprovam essa provocação. 

Na Feira da Madrugada você encontra de tudo
Com isso, a execução da ordem de despejo no próximo domingo poderá desencadear um cenário de guerra, causando ferimentos e até mortes, um Carandiru 2.

É importante ressaltar que há mais de uma década que os comerciantes locais tentam regularizar e formalizar suas respectivas situações junto ao poder público, mas sem sucesso. Não houve – e não há – qualquer incentivo neste sentido.

Walther Alvarenga

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.