Símbolos religiosos retirados à força de igrejas na China, denunciam cristãos.

Flagrante da cruz sendo retirada da Catedral da província de Henan

O governo chinês decretou “guerra” contra o cristianismo
As autoridades chinesas comunistas foram filmadas removendo forçosamente cruzes e outros símbolos religiosos da Catedral Católica de Shangqiu, na província de Henan, sob protestos dos fieis da igreja.
Atos desrespeitosos contra os cristãos na China vêm ocorrendo com frequência. O governo decretou “guerra” contra o cristianismo.
Nesta igreja os símbolos religiosos foram retirados: veja antes e depois.
As imagens chocantes compartilhadas no Twitter por um dos sacerdotes que testemunhou o ato, mostra o momento em que as autoridades locais usam uma grua para remover a última cruz em cima da Catedral do Sul da Igreja Católica de Shangqiu.
Um grupo não identificado teria invadido a igreja sem qualquer documentação oficial ou notificação em 9 de março passado e ocupou-a segurando as portas e desligando a energia elétrica.
Cristãos denunciam perseguições na China
Sacerdotes e freiras relataram os atos de abusivos à polícia em vão, já que as autoridades confiscaram seus respectivos telefones e os ameaçaram,  impedindo que alguém entre ou saia da igreja.
A remoção da cruz no alto da catedral durou cerca de cinco horas em meio a protestos de funcionários da igreja e voluntários.
Grua removendo cruz de igreja, sob protestos.
O site chinês, os católicos on-line informou que a intenção das autoridades locais era ocupar a igreja, mas como não conseguiram fazê-lo, eles passaram a tirar as cruzes da igreja.
Gina Goh, líder religiosa na China, disse que, "À medida que o presidente Xi Jiping se transforma em líder da China, a liberdade religiosa continua a diminuir”.
"A repressão às igrejas costumava ser direcionada principalmente às comunidades subterrâneas, mas agora estamos vendo ataques crescentes e assédio às igrejas sancionadas pelo estado”, denuncia.
Site chinês denuncia arbitrariedades
"Por favor, reze para que a Igreja na China persevere apesar da crescente perseguição", relata.
Ativistas informaram que, entre 2013 e 2015, mais de 1.200 cruzes foram removidas das igrejas apenas na província oriental da China. O sacerdote Hebei Yang Jianwe disse que as autoridades agem com truculência, desrespeitando princípios religiosos.
A Igreja Católica de Shangqiu, a Catedral do Sul, construída pelo missionário agostiniano espanhol Francis-Xavier Ochoa OESA em 1924, foi credenciada como "Principal Site Histórico e Cultural Protegido ao Nível Nacional" em 2002 ".
A notícia vem depois que o grupo de missão cristã Open Doors revelou que a China enviou mais de 100 cristãos aos chamados campos de "reeducação".Esses "centros de transformação mental" instruem os detidos a serem leais à China, e não à sua religião, com familiares preocupados que relatam condições precárias. 
Walther Alvarenga



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.