A ex-primeira dama dos EUA, Barbara Bush, abandona tratamento e decide morrer em paz.

Barbara Bush queria apenas ficar em casa, em paz.

Aos 92 anos, Barbara queria ficar com os netos, e deixa tratamento médico.
“Ela será lembrada pela sua forte devoção ao país e à família, que serviu infalivelmente bem”, disseram o Presidente Donald Trump e a primeira-dama Melania, lamentando a morte d a ex-primeira dama dos EUA, Barbara Bush, que morreu nesta terça-feira, aos 92 anos. 
A matriarca do clã Bush era esposa do 41.º Presidente americano, George H.W. Bush, e mãe do 43.º, George W. Bush.

Ao lado do esposo, o ex-Presidente George Bush 
Em comunicado, a família Bush revelou que Barbara estava com problemas de saúde e decidiu não receber mais tratamento médico, preferindo focar-se em “cuidados de conforto”.
Segundo amigos da família, a ex-primeira-dama enfrentava nos últimos anos uma doença pulmonar obstrutiva crônica e com problemas cardíacos. Ela então decidiu abandonar o tratamento e ficar em paz.

Ao lado dos netos, recebeu muito carinho antes de morrer.
Bill Clinton, que derrotou Bush pai nas eleições presidenciais de 1992, apelidou Barbara de “feroz e resoluta no apoio à sua família e amigos, ao seu país e às suas causas”. “Ela mostrou-nos como é uma vida honesta, vibrante e plena”, acrescentou o ex-Presidente.
O também ex-Presidente Barack Obama e a sua esposa Michelle Obama disseram que Barbara Bush era “um exemplo da humildade e decência que reflete o melhor do espírito americano”.
Outro dos filhos de Barbara, Jeb, foi governador da Florida entre 1999 e 2007 e tentou conquistar a nomeação presidencial pelo Partido Republicano em 2016. Barbara fez campanha com Jeb até este abandonar a corrida.
Walther Alvarenga




Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.