Trump pode ser intimado a depor sobre interferência russa nas eleições dos EUA

Donald Trump diz que não cometeu irregularidades
"Russiagate" toma proporções preocupantes diz "Washington Post"

Embora as estratégias do staff  do Presidente Donald Trump seja desviar as atenções da mídia sobre suposto envolvimento da Rússia na campanha presidencial dos EUA – denominado "Russiagate" – , que teria beneficiado o então candidato republicano, o assunto toma proporções preocupantes. 

Robert Mueller, procurador especial do caso "Russiagate", fala da possibilidade de convocar o presidente Donald Trump  para falar sobre a suposta interferência russa na campanha presidencial de 2016.O jornal "Washington Post" veiculou informação sobre tensa reunião entre Robert  Mueller e os advogados de defesa de Trump, que discutiu a hipótese da intimação do republicano.
Robert Mueller, procurador especial do caso "Russiagate"

E caso Trump se recuse a colaborar com as investigações, disse Mueller que a situação poderá se complicar. A reportagem cita informações divulgadas pelo ex-advogado do chefe de Estado norte-americano, John Dowd, que pediu demissão no mês passado.

O presidente Donald Trump nega que tenha ocorrido um conluio e ressalta que não cometeu nenhuma irregularidade. Ele publicou crítica em sua conta no Twitter: "Não houve conluio (é um boato) e não há obstrução de Justiça (isso é uma invenção e uma armadilha)". 

"O que existe são negociações em andamento com a Coreia do Norte sobre a guerra nuclear, negociações em andamento com a China sobre déficits comerciais, negociações sobre o NAFTA, e muito mais. Caça às bruxas!", ressaltou.

Trump, inclusive, ameaça usar seus poderes presenciais, que inclui a possibilidade de demitir qualquer funcionário do poder Executivo e intervir na atividade do Departamento de Justiça.

"Um sistema fraudulento. Eles não querem entregar documentos para o Congresso. Do que eles têm medo? Por que tanta omissão? Por que essa "justiça" injusta? Em algum momento eu não terei escolha a não ser usar os poderes concedidos à Presidência e me envolver", enfatizou. 

Walther Alvarenga

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.