Horror na Indonésia: 1.200 mortos após tsunami destruir ilha de Sulawesi.

Número de mortos pode aumentar após tsunami

Indonésia teve seu segundo grande terremoto em questão de meses

Após o tsunami que matou até o momento cerca de 1.200 pessoas, a Indonésia ainda se recupera de um gigantesco terremoto de magnitude 7,5, que destruiu a ilha de Sulawesi. A devastação provocada pelos tremores chocou o resto do mundo.

A Indonésia experimentou seu segundo grande terremoto em questão de meses, deixando a cidade de Palu enterrada sob escombros e água.Situada no "Anel de Fogo" do Pacífico, a ilha de Sulawesi ficou a mercê do caos, após uma sucessão de tremores que sacudiram a terra.

Ilha de Sulawesi completamente destruída
A principal cidade de Palu foi clamada por ajuda depois que ondas de choque de magnitude 7,5, e o número de mortes vem aumentando.

O impacto do tsunami foi sentido na costa de Sulawesi, onde as ondas devastadoras de seis metros de altura se acumularam no litoral e destruíram os prédios.

Cova coletiva para enterrar os corpos
A orla costeira de Palu está repleta de hotéis e shoppings que já foram demolidos. Agus Haryono, membro da equipe da Cruz Vermelha, disse que pessoas ainda estavam dentro dos hotéis de sete andares.

Um total de 12 pessoas já foram recuperadas das ruínas, mas apenas três estão vivas. Acredita-se que cerca de 50 continuam presas não interior do prédio quando ele desabou.

Palas e os Distritos da Ilha de Sulawesi foram destruídos pelo terremoto, com milhões de pessoas que foram afetadas pelo desastre.

Os mortos foram inseridos em sacos de cadáveres em uma área de terra desolada de Palu, onde outrora era um belo lugar, agora coberto de cinzas escuras.

Socorro aos sobreviventes da catástrofe
Há muitos guias, enquanto as autoridades vasculham os destroços de Palu, o número de mortos pode aumentar ainda mais.

Entre as autoridades indonésias estão uma organização humanitária da Cruz Vermelha. Os trabalhadores da Indonésia foram destinados a ilha de Donggala, onde 300 mil moradores foram atingidos.

Imagens chocantes revelam os edifícios e os veículos engolidos no solo, através de um processo denominado liquefação do solo, onde uma terra encharcada atua como um líquido.

O presidente indonésio, Joko Widodo, está liderando os esforços para recuperar as pessoas da cidade em ruínas, e quatro distritos atingidos pela violência em 1,4 milhão.

Widodo disse que ordenou que a coordenadora nacional de busca e remessa envie mais policiais e soldados para os distritos afetados.

Embarcações da marinha e serviços aéreos irregulares do aeroporto internacional de Palau estão evacuando os sobreviventes. 

Walther Alvarenga

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.