O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

“Barça” exige que Neymar devolva 30 milhões de euros

Agora é a vez do "Barça" fazer exigências a Neymar
Os dirigentes alegam rescisão unilateral do contrato

A dor de cabeça para Neymar parece não ter acabado. Depois de enfrentar problemas na justiça da Espanha por suposta fraude no processo de sua transferência do Santos, também tem pendências com a Delegacia da Receita Federal do Rio de Janeiro por sonegação fiscal. Agora é a vez do Barcelona que exige que Neymar devolva  ao clube 26 milhões de euros (96 milhões de reais), pela rescisão unilateral  do contrato.

Além disso, o Barcelona cobra de Neymar uma indenização de 8,5 milhões de euros por perdas e danos, mais 10% do total como juros de mora.

Josep María Bartomeu, presidente do "Barça" entra na justiça da Espanha
O “Barça” anunciou em comunicado que enviou à Federação Espanhola de futebol a ação que impetrou no último dia 11 de agosto contra o jogador no Tribunal Social de Barcelona: o clube quer que o brasileiro lhe devolva o pagamento correspondente a seus bônus de renovação, por descumprimento de contrato.

A avaliação do Barcelona é de que, com a rescisão unilateral de Neymar, o clube fica isento do pagamento do total do bônus, de cerca de 26 milhões de euros (96 milhões de reais).

Além disso, o Barcelona cobra de Neymar uma indenização de 8,5 milhões de euros por perdas e danos, mais 10% do total como juros de mora. No mesmo comunicado, no qual pede que a Federação espanhola transmita a demanda para a Federação Francesa de Futebol e a FIFA, o Barcelona exige que o PSG assuma esses custos caso Neymar não possa assumi-los.

O relacionamento entre a diretoria do clube e Neymar parece ter-se rompido com a mesma facilidade com que se rompeu o vínculo contratual entre as duas partes. Depois do jogo contra o Toulouse, o brasileiro afirmou: “Eles - a diretoria - não deviam estar lá. O Barcelona merece muito mais, e todo mundo sabe disso”.

Apesar das declarações do atleta, o Barcelona não tem a intenção de estabelecer um conflito. “Não entraremos de nenhuma maneira em disputas dialéticas com o Neymar”, dizem.

O clube justifica a sua decisão alegando a ruptura brusca por parte do jogador poucos meses depois de ter assinado a renovação de contrato.


Walther Alvarenga

Nenhum comentário