O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vidente no Reino Unido lê o futuro nas nádegas do cliente

Sandra Amos diz que as nádegas revelam futuro e coisas do passado
Sandra Amos é rumpóloga e diz que o futuro está na nádega direita

As coisas mais inusitadas têm acontecido atualmente, envolvendo situações inacreditáveis. E se você, leitor do BLOG, acha que já leu tudo, veja essa façanha, diria ineditismo, descoberta no Reino Unido esta semana.

Uma vidente de origem espanhola deixa os clientes boquiabertos pela forma como lê o futuro. Ela pratica 'rumpologia', técnica onde se lê o futuro nas nádegas dos clientes. Isso mesmo. 

Sandra Amos é rumpóloga no Reino Unido e recentemente foi protagonista de uma reportagem da jornalista Antía Castedo, para a revista colombiana Soho.

Vidente se concentra antes de tocar no bumbum do cliente
A descoberta foi saber como funciona esta nova técnica - 'rumpologia' -, que está dando o que falar. A rumpóloga explicou que "todos temos o futuro escrito na bunda” e que cada nádega funciona como uma espécie de enciclopédia da vida. Como assim?

A nádega direita, segundo a vidente, mostra o que está para acontecer, já a esquerda diz respeito ao que aconteceu no passado. Muito hilário, mas tem que acredita nisso.

A mulher de 58 anos explicou que nasceu com o dom de ler a alma das pessoas através das delineações do bumbum e que conta com a ajuda dos seus três "guias espirituais": um índio de Dakota do Norte (EUA), um médico e uma monja.

A vidente diz que já faz consultas há 18 anos e que esta prática vem lhe dando fama. 
Vale lembrar que a Mãe de Sylvester Stallone também dá consultas de 'rumpologia'.

Jacqueline Stallone, mãe de Sylvester, também é rumpóloga.
Jacqueline Stallone, de 95 anos, também diz ser capaz de prever o futuro lendo o 'bumbum'. A mãe do ator faz consultas presenciais na Colômbia e também permite que lhe enviem fotografias pelo site.  

Bem, se você crê mesmo que o seu futuro está no “bumbum”, melhor ir se consultar com a rumpóloga o quanto antes. Boa sorte.

Walther Alvarenga


Nenhum comentário