O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Advogado sem licença lesa brasileiros no Texas em mais de US$ 100 mil

José William Veja foi levado ao Tribunal do Texas 
José William Veja atuava no Texas e recebia por serviços nunca feitos
Os brasileiros e imigrantes de forma geral devem ter o máximo de cuidado com falsos advogados de imigração, que “advogam” em causa própria, ou seja, para “tirar” dinheiro dos desavisados. O processo de legalização é complexo e exige profissional idôneo.  
José William Veja, encaminhado ao Tribunal em Houston, no Texas, é acusado de lesar brasileiros, recebendo dinheiro dos clientes sem prestar serviços. A malandragem foi denunciada e ele terá de responder judicialmente.
O suposto advogado não tinha mais licença para atuar no Texas, segundo denúncias do Brazilian Voice, culminando em ações indevidas.
Os promotores públicos alegam que o réu manteve as aparências,  passando-se por advogado de imigração, com isso, recebendo por serviços nunca prestados.
Uma brasileira, que não quis ser identificada, disse que o tal advogado lhe prometeu conseguir Visto de permanência no país, o que é meramente impossível, exceto Green Card ou outro visto específico.
Ela pagou caro por um serviço que nunca foi feito. “O que eu vou fazer? Eu estava triste. Eu estava furiosa. Eu disse a ele: Você quer saber de uma coisa? Eu não quero nada contigo. Eu quero o meu dinheiro de volta. Você não é advogado”, conta a brasileira.
Os promotores disseram que José William Veja, ao se apresentar como advogado de imigração escolhia as vítimas na comunidade. Agia rápido, com o golpe fatal.
“Caso as vítimas denunciem; nós investigaremos. Nós não iremos deportá-las. É muito importante que entendam que nós não estamos aqui para deportar vítimas de crimes”, disse Ruben Perez, chefe do Departamento de Combate a Crimes Especiais da Promotoria Pública do Condado de Harris.
Foram averiguados cerca de 40 casos nos quais ele é acusado de aceitar mais de US$ 100 mil de clientes, mesmo que não tenha feito algo para ajudar os clientes.

Walther Alvarenga

Nenhum comentário