O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Imigrantes indocumentados protestam em Portugal: pedem agilidade na legalização.

Indocumentados reclamam da morosidade na legalização

Em clima de revolta, manifestantes se concentraram em Lisboa.

O clima é de revolta e insatisfação entre os imigrantes indocumentados residentes em Portugal. As promessas de legalização do governo português se arrastam, irritando os milhares de trabalhadores que continuam na fila de espera.

“Quando vão olhar para nós e cuidar de nós?” Indagou uma jovem em meio aos protestos que se estenderam em Lisboa, congestionando o trânsito na Avenida António Augusto de Aguiar.

Manifestantes se concentram em Lisboa
A Associação Solidariedade Imigrante promoveu  uma concentração junto às instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) para protestar contra a falta de documentos e a demora nas autorizações de residência.

Os manifestantes gritavam palavras de ordem como "documentos para todos" e "residência para todos", criticando a demora do SEF em passar a documentação a pessoas que trabalham em Portugal.

Líderes dos imigrantes em Portugal exigem respostas do país
O diretor adjunto regional do SEF, o representante da associação, Timoteo Macedo, disse aos jornalistas que há pessoas  trabalhando há quatro, cinco e seis anos e que ainda não têm autorização de residência.

Protesto se concentrou à frente do Serviço de Estrangeiros
Em relação às demoras nos processos de legalização, segundo Timoteo Macedo, o subdiretor regional do SEF justificou com a falta de pessoal que não permite ao serviço acelerar os processos, havendo, por isso, "gente em situações desesperadas".

Imigrantes pedem respeito às autoridades de Portugal
Manuela Niza, presidente do SINSEF, compreendeu as reivindicações dos imigrantes, explicando que uma das batalhas do sindicato também é a falta de pessoal, associada a uma carreira digna, enquadrada numa lei orgânica e um estatuto profissional.

Enquanto isso, milhares de trabalhadores sem documentos aguardam uma resolução para que possam ter prioridades no país, pois trabalham e colaboram com o desenvolvimento de Portugal. 

Walther Alvarenga


Nenhum comentário