O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Uma lição de amor à vida aos 100 anos. Conheça a mulher que emocionou a Itália.

A senhora Clotilde Serpi deixa-nos a lição de amor à vida

Clotilde Serpi adorava passar as manhã escrevendo em seu computador

Houve silencio entre os moradores da pequena cidade de Ussaramanna, na Itália – região da Sardenha, na província da Sardenha do Sul, com cerca de 611 habitantes. A quarta-feira amanheceu triste com a notícia do falecimento da senhora Clotilde Serpi, popularmente chamada de Tzia Tillia. Quem é ela?

Após completar 100 anos de idade de uma vida atuante, Clotilde estava escrevendo o seu livro, Uma Mulher do Seu Tempo. E para realizar essa façanha, aprendeu a usar o computador, e todas as manhãs, após o seu café, passava horas no computador escrevendo a sua história.

Clotilde recebeu carinho da comunidade aos 100 anos
E não era apenas isso: Tzia Tillia também manuseava as redes sociais, algo  que lhe conferiu o certificado de Mérito do Facebook, homenagem entregue na casa de repouso onde recebia total atenção dos funcionários.

Emocionada, Clotilde – lúcida e emotiva – confessou adorar computador porque facilitava escrever a sua história. Foi considerada a “avó de Ussaramanna”, se tornando uma referência e o exemplo de que tudo é possível realizar, não importa a idade. 

Facebook outorgou a Clotilde o certificado de Mérito
“O tempo não pode limitar os nossos sonhos, porque ainda há esperança quando se tem vontade de viver, apesar de se ter 100 anos de idade. Ainda dá tempo de ser feliz”, dizia Clotilde.

Ao ser informado da morte da adorável senhora Clotilde, o Prefeito de Ussaramanna, Mark Sideri, externou publicamente seu sentimento dizendo o seguinte: "Estou convencido de que ela passou seus últimos dias feliz, cercada pelo amor de sua comunidade".

"Foi um privilégio conhecê-la e trabalhar para você e com você ", cumprimenta Alessio Setti, gerente da casa de repouso Samassi onde vivia Clotilde, e local onde aprendeu a mover os dedos no teclado.

Na expressão de cada morador da pequena Ussaramanna, o sentimento pela perda da avó de todos. Mulher de fibra que aos 100 anos escreveu um livro, aprendeu a manusear o computador deixando para todos uma lição de vida: viver a cada segundo de forma produtiva e feliz, ilimitadamente, mesmo com as limitações da idade. Valeu, senhora Clotilde!

Walther Alvarenga


Nenhum comentário