O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O que o mundo, e você, nunca souberam sobre Robin Williams.


 
O comportamento impulsivo de Robin Williams
Documentário de Marina Zenovich destaca curiosidades da vida do ator

Sem dúvida, foi um dos maiores atores dos últimos anos, entretanto, frágil e complexo, capaz de fazer as pessoas rirem e chorarem. Robin Williams faleceu há cinco anos e hoje é lembrado no documentário da diretora Marina Zenovich, que destaca algumas curiosidades sobre sua vida. O que você, leitor do BLOG, talvez não saiba sobre o saudoso ator norte-americano é revelado de forma especial neste texto.

Robin Williams estreou em Sundance e foi ao ar nos EUA, “Come Inside My Mind” , filme que mistura entrevistas com celebridades como Steve Martin e Billy Cristal. Sempre surpreendeu aos diretores e colegas de elenco com seu jeito improvisado de atuar.

Uma primeira curiosidade é de natureza técnica. Em êxtase criativo, o ator não podia parar nos pontos designados pelos diretores, pois improvisava continuamente e os cinegrafistas não podiam segui-lo, muitas vezes perdendo seus movimentos. Era impulsivo em demasia.

O documentário destaca Williams no longa “Bom Dia, Vietnã”, que foca em um locutor ousado, tentando fazer as pessoas sorrirem em plena guerra do Vietnã.  Para o ator, “foi o meu grande papel. Pude mostrar ao mundo o poder da comicidade em meio aos caos”, relata.

Com 120 minutos de duração, a diretora Marina Zenovich também conta alguns aspectos pouco conhecidos do ator nascido em Chicago em 1951, que encerrou sua vida em 2014, talvez motivada por doença degenerativa que havia sido diagnosticada pouco tempo antes. 

Às vezes introvertido, de repente engraçado, tinha um temperamento difícil de lidar, principalmente em locais públicos quando tentava fugir do assédio do público. Geralmente estava sério, não conversava, deixando as pessoas intrigadas.

Na vida real, Robin Williams era fechado em si mesmo. Um homem que nos minutos de silencio – trancado em sua residência – não gostava nem mesmo de atender telefone. O celular sempre caía na caixa postal, mas os amigos mais íntimos sabiam que era assim mesmo: para falar com o ator, uma verdadeira maratona de mensagens insistentes.

Segundo o documentário, a carreira de William nasceu graças a seu pai, mas o mérito é, por assim dizer, indireto. O ator, que começou com a comédia stand-up, percebeu o poder da comédia ao ver os pais, geralmente austeros e não propensos a rir, rindo alto em frente ao comediante Jonathan Winters. 

Williams optou por se inscrever no curso de improvisação teatral porque era o único curso orientado para o sexo masculino em sua faculdade que também tinha alunas. O teatro foi muito útil para ele em sua carreira, especialmente durante seu primeiro show pago. 

O microfone decidiu quebrar no meio da performance, mas graças à voz bem treinada, o ator não teve problemas em se fazer ouvir de qualquer maneira. Este era o notável Robin Williams.

Por gentileza, compartilhe esta matéria nas redes sociais e entre seus amigos! 

Walther Alvarenga


Nenhum comentário