O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assentos anti-infecção podem ser solução para empresas aéreas contra coronavírus


 
Paredes transparentes entre as poltronas do avião
As duas propostas vêm da “Aviointeriors”, empresa italiana especializada em fabricar assentos de aeronaves

As companhias aéreas já antecipam para a volta da normalidade de voos internacionais e criam novos modelos dos assentos nas aeronaves, evitando que o passageiro se contamine com o coronavírus. As novas instalações apresentam paredes transparentes entre as poltronas do avião e mesmo assento invertidos, os chamados, “assentos anti-infecção”.   

As duas propostas vêm da “Aviointeriors”, empresa italiana especializada em fabricar assentos de aeronaves - que publicou os rascunhos -, contra o coronavírus, o que garante minimizar contatos e interações aéreas, reduzindo a probabilidade de contaminação"

A primeira solução é mais imediata, mais barata, mas também não é exatamente à prova de transmissão. A segunda opção, por outro lado, é mais complicada de instalar e cara, mas também mais segura, segundo os fabricantes.

Outra solução seria os assentos invertidos
Assentos invertidos Os céus do mundo agora estão vazios - com dois terços dos aviões comerciais em terra há semanas  -, nas empresas que fabricam o interior da aeronave, a busca por soluções anti-coronavírus para tranquilizar os passageiros. 

A empresa líder, a italiana, “Aviointeriors”, especializada na fabricação de assentos de aeronaves, publicou dois rascunhos com o mesmo número de viagens a bordo.
«)
Kit transparente
A primeira opção, chamada "Glassafe", não requer distorção interna: o kit, em material transparente, é uma parede divisória entre passageiros sentados na mesma fila que, no entanto, fornece uma primeira barreira nas interações entre dois indivíduos lado a lado.

Terminada a emergência sanitária, a parede pode ser removida. Em uma inspeção mais detalhada, no entanto, parece haver dois pontos críticos. A primeira: a separação entre os assentos não é clara: o vírus sempre pode entrar na altura dos apoios de braços ou de cima. 
O segundo ponto crítico está nos espaços: uma parede como essa limitaria os movimentos entre os assentos.

Walther Alvarenga

#NãoSaiadeCasa


Nenhum comentário