Milhares de pessoas saem às ruas de Barcelona contra o terrorismo

Com a frase, "Não tenho Medo", milhares de pessoas foram às ruas.
Autoridades, gente do povo e artistas estiveram na passeata pela paz
A cidade de Barcelona viveu neste sábado um dia de protesto contra o islamismo radical e em repúdio ao ataque terrorista na Praça La Rambla que matou 14 pessoas e feriu 100. Uma multidão saiu às ruas com gritos de ordem, acompanhada do Rei Felipe da Espanha, do Prefeito de Barcelona, Ada Colau, e do primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy .
Às milhares de pessoas se reuniram no Passeig de Gracia com uma procissão que acabou na praça principal da cidade, a Plaça de Catalunya.
Muitos manifestantes colocaram na bandeira catalã uma fita preta em respeito àqueles que foram mortos no recente ataque terrorista em Las Ramblas, ao sul da praça principal. Todos condenavam o terrorismo.
População da Espanha diz "não" ao terrorismo
Os membros dos serviços de emergência da cidade participaram da procissão. Acredita-se que essa é a primeira vez que um monarca reinante na Espanha  - Rei Felipe -, participa de uma manifestação desde que a monarquia foi reintroduzida após a morte do ditador Franco.
Em meio aos protestos, o Rei Felipe foi criticado por manifestantes que disseram que ele teria vendido armas para países que apoiam o terrorismo.
Cartazes criticam Rei Felipe por vender armas a quem apoia o terror
Uma manifestante levou um cartaz em inglês, dizendo: "Felipe, pessoas que querem paz não lidam com armas".
Também participou da manifestação o Presidente do Parlamento da Catalunha, Carme Forcadell, e o vice-Presidente Oriol Junqueras.
Lembrando - Na semana passada, a cidade de Barcelona foi dominada pelo terror quando um extremista islâmico jogou uma van contra pedestres que caminhavam por Las Ramblas, uma Praça turística importante na cidade, matando 14 e ferindo 100.
Homenagem aos mortos com flores na La Ramblas
Foi um terror o ataque, liderado pelo motorista da van, mais tarde identificado como Younes Abouyaaqoub.
Abouyaaqoub conseguiu escapar da cena a pé, provocando uma grande caçada na Espanha. Ele foi rastreado até um posto de gasolina em Subirats, fora de Barcelona, ​​e foi morto a tiros pela polícia.
A marcha terminou com uma cerimônia - a leitura de dois textos que apoiam a convivência na diversidade. Eles foram lidos pelo ator Rosa Maria Sardà e Míriam Hatibi, porta-voz da Fundação Ibn Battuta. Dois violões tocaram "El cant dels ocells" ("A canção dos pássaros", uma música catalã tradicional).
Walther Alvarenga    


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.