Marcha pela independência da Catalunha reúne 1 milhão em Barcelona

Povo vai às ruas no Dia Nacional da Catalunha
Com palavras de ordem os manifestantes exigem direito ao voto

Cerca de 1 milhão de pessoas saíram às ruas de Barcelona, na Espanha, nesta segunda, para celebrar o Dia Nacional da Catalunha – Diada -, em defesa à sua independência, reivindicando o seu direito a votar no referendo de 1 de outubro. Eles gritavam palavras de ordem, “Votaremos, votaremos”.

A manifestação do Diada, com o grito do Sim à independência, mostrou a força de um povo que exige o referendo em 1de outubro, apesar da suspensão decretada pelo Tribunal Constitucional e da garantia do primeiro-ministro Mariano Rajoy de que este não irá se realizar.

Com palavras de ordem manifestantes querem votar
Empunhando a bandeira da Catalunha independentista, e vestindo camisas amarelas com a mensagem "Sim" escrita em várias línguas, os manifestantes caminharam pacificamente pelas ruas principais da cidade.

Não há uma avaliação oficial quanto ao número de manifestantes, mas estima-se 225 mil da Sociedade Civil Catalã, 350 mil da delegação do governo na Catalunha, entre os demais manifestantes, num total aproximado de um milhão de pessoas, segundo a Guarda Urbana de Barcelona.

Manifestantes exigem direito de votar no referendo em outubro
"O que mais temos de fazer para que entendam que o povo da Catalunha quer votar, quer a sua independência?", declarou Carles Puigdemont, presidente da Generalitat, no final da marcha, numa alusão ao primeiro-ministro Mariano Rajoy.

Segundo Jordi Sànchez, presidente da Assembleia Nacional Catalã, entidade que organiza desde 2012 a manifestações da Diada, "o povo está nas ruas e contra esta atitude não poderão lutar, nem procuradores, nem juízes, nem a Guarda Civil", acrescentou.

Bandeiras foram colocadas na fachada de residências em Barcelona
As celebrações deste ano, e a 19 dias do referendo de 1 de outubro, foram batizadas de Diada do Sim. Cartazes gigantes traziam mensagem como: "Referendo é democracia", "Paz e liberdade". "Votaremos! Votaremos!", foram das palavras de ordem mais ouvidas nas celebrações desta segunda, que terminaram na Praça da Catalunha.

Os juízes do Tribunal Constitucional convocaram para esta terça-feira  reunião extraordinária para decidir sobre o recurso de inconstitucionalidade apresentado primeiro-ministro Mariano Rajoy, contra a Lei da Transição aprovada na quinta-feira pelo Parlamento da Catalunha.

Cerca de 1 milhão de pessoas foram às ruas de Barcelona
Esta legislação estabelece as bases da lei catalã caso o sim ganhe o referendo e seja declarada a independência, estabelecendo o prazo de um ano para criar uma Constituição e convocar as primeiras eleições da nova república.

Walther Alvarenga

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.