O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Videoclipe de Anitta debocha do Brasil e vulgariza mulher brasileira na Europa


Clipe, Vai Malandra, de Anitta, é campeão de acessos na Europa.
Videoclipe Vai Maladra campeão de acessos e de deboches na Europa

O Videoclipe da nova música de Anitta, Vai Malandra, mostra o Morro do Vidigal, no Rio, deturpando a imagem da mulher brasileira na Europa. Personagens vadias, que nos remetem a um Brasil sem regras ou pudores. É também o perfil do brasileiro gandaieiro, irresponsável. E quem acredita que os milhões de acessos é uma “virtude cultural”, mero engano. (Assista ao clipe abaixo)

E o que mais surpreende é que “isso” vem sendo mostrado no exterior, como se já não bastasse à degradação do nosso país lá fora, contaminado pela corrupção no governo federal, pela violência nos morros do Rio e, agora, o deboche de Anitta avalizando um Brasil de meretrizes e negros desocupados.
 


A banalização da imagem da mulher brasileira na Europa
E se Anitta queria mesmo provocar a Europa, conseguiu. A música, “Vai Malandra”, obteve mais de 38 milhões de visualizações no YouTube e tornou-se a primeira canção em português a entrar no top 20 global do serviço Spotify. É a celebração do caos porque o que se vê no videoclipe é um Brasil incolor, desprestigiado.

A vulgarização da imagem da mulher brasileira, arrastada para o limbo da perversão, certamente irá incentivar europeus a vir fazer farra no Brasil, como acontece no Carnaval. No país da bunda, ao que dá entender no videoclipe, está tudo liberado.
 


Morro do Vidigal e mulheres abastadas no videoclipe de Anitta
E não se trata de discurso infundado, moralista, mas o alerta para o efeito contrário, em meio a campanhas contra estupro e o tráfico internacional de mulheres brasileiras na Europa. Anitta descamba com tudo, levantando a bandeira da barbárie, da desmoralização do caráter. 

Anitta mostra o corpo – o que ela certamente tem de melhor porque cantar mesmo... –, faz bicos e olhares provocadores, evidenciando os trejeitos da catraia, oriunda do país tupiniquim. Polemizar não significa que devemos ser rasteiros.

Sabe-se que o videoclipe foi realizado por Terry Richardson, um fotógrafo que enfrenta várias acusações de comportamento sexualmente inapropriado. É aquela velha história: quando a fome se junta com a vontade de comer...

Enfim, a burrada foi feita e agora temos de aguentar as críticas até o último de nossos dias. Impossível apagar o dano.

O constrangedor mesmo é ao chegar à Europa, entregar o passaporte aos oficiais de imigração, ciente de que todos eles viram – e sabem –, que o Brasil é um país que não pode ser levado a sério. E isso não sou eu quem está dizendo, mas é o resultado do “trabalho” de alguns influentes pseudos artistas que denigrem tudo. Lamentável! (Walther Alvarenga)


(Assista ao clipe e tire conclusões. Observar é ater-se aos fatos)

Nenhum comentário