O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Seca atinge Veneza. Canais sem água e gôndolas encalhadas na lama.

Veneza enfrenta pior seca dos últimos anos
Turistas que chegam a Veneza ficam chocados com a seca na cidade
A pergunta de quem chega a Veneza, na Itália, é a seguinte: Onde estão as águas de Veneza? Surpreendentemente os canais icônicos da Veneza estão secos, depois que a região sofreu semanas sem chuva deixando as gôndolas mundialmente famosas encalhadas na lama.
Um cenário atípico para a cidade que reserva romantismo, cenário de filmes, e que hoje se encontra relegada à seca que quebrou a magia dos canais intermináveis. E os turistas que chegam dispostos a passear de gôndola, ficam frustrados.
Gôndolas estão encalhadas na lama
Uma combinação de alta pressão atmosférica no alto do Adriático, clima frio e marés baixas deixaram os famosos canais secos. Os níveis de água foram reportados até 60 milímetros abaixo dos níveis normais.
Turistas reclamam pela falta do passeio de barco pela cidade
As águas em declínio significam que as gôndolas e os táxis aquáticos não conseguem navegar pelos canais elegantes da cidade.É o segundo ano consecutivo que os canais de Veneza foram deixados sem água, apesar de serem propensos a grandes inundações, várias vezes por ano.
Os canais de Veneza estão completamente secos
O problema da falta de água nos canais dificultam o acesso às casas antigas, com entrada pelas escadas, onde costumavam-se descarregar mercadorias agora são inundadas lama e um cheiro nada agradável.
Dificuldade nos acessos de casas e hotéis de Veneza
Estudos indicaram que a cidade está afundando.  Em 2003, um projeto de engenharia para evitar inundações foi iniciado para aumentar os portões móveis para separar a lagoa do mar adriático quando a água é muito alta.
Romantismo de Veneza está encalhado, dizem turistas.
Os turistas que chegaram à Veneza esta semana ficaram chocados com a falta de água na famosa cidade. Apesar do bom do turismo, a população de Veneza diminuiu de 175 mil para cerca de 55 mil.
Cai o movimento nos hotéis de Veneza
Os preços elevados, impulsionados pelo turismo, a erosão dos edifícios laterais dos canais e a logística de uma cidade sem carros, foram culpados pela queda dos moradores.
Muitos venezianos agora vivem no continente e viajam para a cidade histórica - geralmente para trabalhar no setor de turismo. A baixa recorde de Veneza foi estabelecida em 1934, quando a maré estava quatro pés abaixo da média.
Walther Alvarenga


Nenhum comentário