O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Atirador mata cinco jornalistas, cumprindo ameaça que a polícia ignorou.


Jarrod Ramos cumpriu o que prometia: matar jornalistas da Gazzette.
Jarrod Ramos previu matar jornalistas com mensagens no Facebook
Esta é a face do crime, do ódio que matou cinco funcionários do jornal Capital Gazette, em Annapolis, capital de Maryland, Jarrod Ramos, de 38 anos, invadiu a redação do jornal armado com granadas de fumaça e uma espingarda, e brutalmente assassinou cinco jornalistas na redação, levando terror a Maryland.
O atirador, graduado em engenharia da computação, foi preso depois que Rob Hiaasen, 59, Wendi Winters, 65, Rebecca Smith, 34, Gerald Fischman, 61, e John McNamara, 56, foram espancados até a morte com uma espingarda.
Tragédia em redação de jornal causa revolta em Maryland
Ramos travou uma campanha de seis anos contra o jornal e seus jornalistas depois que o veículo de comunicação denunciou a sua perseguição implacável a uma mulher - que era ex-colega de escola. Ele infernizou a vida da moça, ato denunciado pelo jornal Capital Gazette.
Jayne Miller, uma repórter investigativa de uma emissora de TV de Maryland, twittou que a vítima de Jarrod  Ramos disse a ela que foi "perseguida, assediada, processada e teve que ir morar em outro estado".Miller acrescentou: "A vítima alertou a um ex-oficial da polícia, anos atrás, de que Jarrod iria matar os jornalistas da Gazette. Ele tinha prometido quando leu a denúncia contra ele no jornal, acusando-o de assédio", relata a repórter. “Ele previu que seria um atirador em massa”.
A polícia disse que Ramos executou um "ataque coordenado" na redação  da Gazette, barricando uma saída e entrando na redação do jornal armado com granadas de fumaça e uma espingarda, que ele comprou legalmente, abrindo fogo contra o pessoal através de um vidro.
Phil Davis, do jornal Gazette, que trabalha como repórter policial, twittou depois da tragédia: “Um único atirador atirou em várias pessoas na redação, algumas das quais estão mortas agora”, alertou.
Entenda o caso - Jarrod Ramos, sem sucesso, processou a Gazette depois que ele admitiu em audiência, em 2015, de que teria assediado criminalmente sua ex-colega de classe. Evidente, um fato que foi parar nas páginas da Gazette.
Ele, por sua vez, assediava rotineiramente os jornalistas do jornal e a polícia disse que a equipe havia recebido ameaças de morte nas mídias sociais antes do tiroteio.Tom Marquardt, editor de edição aposentado do jornal, disse que ligou para a polícia sobre Ramos em 2013. 
"Eu estava seriamente preocupado de que ele iria nos ameaçar com violência física. Os telefonemas e mensagens eram contínuas, horríveis. Um sujeito rancoroso e sem escrúpulos", lembra Tom.
O presidente dos EUA, Donald Trump, disse: “Este ataque chocou a consciência de nossa nação e encheu nossos corações de pesar. Jornalistas, como todos os americanos, deveriam estar livres do medo de serem violentamente atacados enquanto realizam seu trabalho ”. 
Walther Alvarenga

Nenhum comentário