O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Dia de cão pelas ruas de La paz. Incêndios, saques e feridos.

Capital La Paz virou campo de guerra entre polícia e manifestantes

Milicianos queimam casas e empresas. Falta alimento e luz no país.


Após a renúncia de Evo Morales à presidência da Bolívia, milícias armadas do Movimento ao Socialismo, reivindicam guerra civil, manchando com sangue a dor ao povo – denunciam jornalistas que enfrentam o caos para conseguir informações. A Capital La Paz se transformou em uma praça de guerra e as pessoas não podem sair às ruas temendo ataques. O país está entregue a um futuro sombrio.

Segundo informações que o BLOG obteve direto de La Paz, grupos de vândalos que se mobilizam para diferentes partes da cidade de El Alto. O objetivo é atacar instituições públicas, como a Unidade Operacional de Trânsito, localizada na Sobrancelha.

Em outras partes da cidade houve confrontos violentos, com saldos de feridos. E o se que pode ver pelas ruas, são pessoas bêbadas, que incitam a cometer atos de violência em El Alto. Está faltando alimento em várias cidades da Bolívia.


As saídas da cidade foram bloqueadas


Pode-se ouvir tiros, gritos e quebra-quebra pelas ruas de La Paz. E não há como como conseguir transportes, pois as avenidas e ruas foram bloqueadas e ordem é para que ninguém saia. Os bolivianos estão indefesos.

O centro de operações da milícia guerrilheira do MAS é Chimoré e Chapare, de onde, por ordem dos líderes já renunciados, milhares de homens e mulheres armados vão para posições policiais e roubam documentos de investigação que incriminam seus co-religiosos.

Os milicianos queimaram casas e empresas, casas de jornalistas, políticos da oposição, entre outros. A residência de Evo Morales foi destruída pelo incêndio. O ex-presidente deixou o país para não ser preso e conseguiu asilo no México, onde se encontra com a família.

Na esfera constitucional, ainda não há estagnação porque o Congresso já se reuniu para considerar as cartas de demissão e passar a assumir a presidência transitória da parlamentar da oposição Jeanine Añez.

Walther Alvarenga


Nenhum comentário