O Mundo Emigrante passa por aqui!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Brasileiro é brutalmente assassinado no mesmo dia em que chegou a Portugal


 
Renê Oura é encontrado morto em descampado na cidade do Porto

Mistério no assassinato de Renê Oura, no dia em que chegou a Portugal

Morte misteriosa do brasileiro, Renê Oura, de 46 anos, na cidade do Porto, que desapareceu no mesmo dia que chegou a Portugal, no último dia 4 de dezembro, para trabalhar. Ele era da cidade de Jaú (SP), e tinha esperança de novas oportunidades no país que tanto amava, segundo relata a esposa, Rose Oura, que está em estado de choque.

Renê Oura trabalhou em um hospital da cidade de Jaú, na área do telemarketing. Ele deixa três filhos.

O corpo de Renê foi encontrado neste sábado de manhã, dia 7, num descampado perto da rotunda de Francos, no Porto. A vítima tinha a cara desfigurada. A Polícia Judiciária investiga o caso.

“O meu esposo tinha o sonho de viver em Portugal, mas foi encontrado morto, de forma brutal, com o rosto desfigurado, tamanha a violência contra ele”, conta Rose, amparada pelos filhos do casal.

"Ele me disse que ia ao mercado quando saiu do hotel. Mandou-me fotos da cidade do Porto e depois nunca mais soube dele", lamenta Rose aos prantos.

Segundo Rose, Renê Oura desapareceu no dia que chegou a Portugal, na quarta-feira passada, dia 3 de dezembro. Um crime que intriga a polícia da cidade do Porto.

Entenda o caso

Renê Oura, que vivia na cidade de Jaú, no interior de São Paulo, tinha um sonho: trabalhar em Portugal e depois levar a esposa e os três filhos. Ele se preparou para realizar a viagem tão esperada.

Embarcou em São Paulo na última terça-feira – dia 3 de dezembro – e chegou a Portugal, na cidade do Porto, na quarta-feira, dia 4 de dezembro.

O brasileiro ficou hospedado em um hotel no centro da cidade. E após fazer o check-in de entrada no hotel, saiu para tirar fotos e desapareceu.

As últimas fotos enviadas à mulher foram tiradas na zona da Baixa, mas o corpo do homem foi encontrado numa zona de vegetação por um usuário de drogas, a dois quilômetros daquela zona.

A polícia da cidade do Porto encontrou o corpo "prostrado no chão com a cara desfigurada". O corpo foi levado, para autopsia. "Estou arrasada. É o fim do sonho", lamenta a viúva.


Walther Alvarenga

Nenhum comentário